Folha de S. Paulo


Arábia Saudita vai autorizar mulheres a dirigirem

O governo da Arábia Saudita anunciou nesta terça-feira (26) que pela primeira vez vai autorizar as mulheres do país a dirigirem, atendendo a um antigo pedido de ativistas e defensores dos direitos humanos, que queriam o fim da proibição.

O anúncio foi feito de forma simultânea pela televisão estatal saudita e em um evento em Washington, nos Estados Unidos.

Segundo o decreto assinado pelo rei Salman bin Abdulaziz Al Saudreal, que autorizou a medida, ela não entra em vigor imediatamente.

Em até 30 dias será criado um comitê ministerial para cuidar do processo, que deve demorar alguns meses. A previsão do governo é que as licenças para que as mulheres possam dirigir comecem a ser liberadas em junho de 2018.

O governo ainda irá esclarecer como será feito o processo para que as mulheres consigam a licença, mas adiantou que mulheres que tenham a permissão de dirigir em outros países do Golfo também poderão dirigir na Arábia Saudita.

No país, que é regido pela sharia (lei islâmica), mulheres não costumam interagir com homens que não são seus familiares. De acordo com as leis do país, mulheres não podem circular livremente e sempre que saem de casa devem estar acompanhadas de um guardião.

Segundo o príncipe Khalid bin Salman bin Abdulaziz, embaixador saudita nos Estados Unidos, as mulheres não irão precisar da autorização de um homem para pedir a licença e também poderão dirigir desacompanhadas, sem a necessidade da presença de um guardião.

"Eu creio que nossos líderes entenderam que a sociedade está pronta", disse ele.

As leis do país também obrigam as mulheres a usar vestidos longos e soltos em público, conhecidos como abayas, além de um véu, se forem muçulmanas.

Nos últimos anos, diversas mulheres desafiaram a proibição e dirigiram veículos. A punição poderia incluir a prisão, multa e chibatadas.

A porta-voz do Departamento de Estado americano, Heather Nauert, elogiou a medida. "É um grande passo na direção certa", disse ela.

Segundo o jornal americano "The New York Times", a mudança na regra é uma conquista do príncipe Mohammed bin Salman bin Abdulaziz, primeiro na linha de sucessão ao trono saudita, que defende a modernização econômica do país.

A medida é vista como uma forma de facilitar a entrada das mulheres no mercado de trabalho, já que elas não mais precisarão de um homem para se deslocarem.

Associated Press
Em vídeo postado no YouTube, mulher saudita dirige carro contrariando as leis do país
Em vídeo postado no YouTube, mulher saudita dirige carro contrariando as leis do país

Endereço da página:

Links no texto: