Folha de S. Paulo


Após EUA, Reino Unido veta eletrônico em voos vindos do Oriente Médio

O Reino Unido anunciou nesta terça-feira (21) restrições ao transporte de eletrônicos em voos partindo de diversos países do Oriente Médio e do norte da África.

A limitação, que segue uma decisão semelhante tomada pouco antes pelo governo dos Estados Unidos, foi justificada como uma medida de segurança.

John Locher - 07.jan.2016/Associated Press
FILE - In this Jan. 7, 2016 file photo, a laptop is seen in Las Vegas. Royal Jordanian Airlines is advising passengers that laptops, iPads, cameras and other electronics won't be allowed in carry-on luggage for U.S.-bound flights starting Tuesday, March 21, 2017. (AP Photo/John Locher, File) ORG XMIT: WX105
Notebook em aeroporto de Las Vegas; eletrônicos deverão ser despachados

Mas, enquanto os EUA restringiram os eletrônicos em voos vindos de aeroportos específicos, e afetando apenas companhias estrangeiras, o Reino Unido tomou medidas mais amplas.

A decisão entra imediatamente em vigor, restringindo eletrônicos nas cabines em voos vindos de Turquia, Líbano, Jordânia, Egito, Tunísia e Arábia Saudita, segundo um porta-voz da primeira-ministra britânica, Theresa May.

Celulares, laptops e tablets maiores do que 16 centímetros de comprimento, 9,3 centímetros de largura e 1,5 centímetro de espessura serão proibidos dentro da cabine e terão que ser despachados. Essas são as dimensões aproximadas de um smartphone, como um iPhone.

SEGURANÇA A BORDO - EUA e Reino Unido restringem eletrônicos em cabines de voos

Essa medida afeta, segundo o jornal local "The Guardian", uma série de companhias aéreas britânicas, como a British Airways e a Easy Jet. Entre as estrangeiras afetadas estão as populares Turkish Airlines e a Royal Jordanian.

A decisão britânica foi tomada após semanas de discussões sobre a segurança em aeroportos. Outros países estão estudando o mesmo tipo de restrição nos voos.


Endereço da página:

Links no texto: