Folha de S. Paulo


Júri decide não indiciar policial de Nova York que matou homem negro

Um júri de Staten Island, na cidade de Nova York, decidiu nesta quarta-feira (3) não indiciar o policial Daniel Pantaleo, 29, que matou por sufocamento Eric Garner, 43, suspeito de vender cigarros contrabandeados em julho.

Em vídeo feito por uma testemunha, Pantaleo, um policial branco, aparece dando uma "gravata" em Garner, um homem negro e acima do peso, que grita várias vezes que não consegue respirar.

A decisão foi divulgada nove dias após outro júri recusar o indiciamento do policial que matou a tiros Michael Brown, 18, em Ferguson, no Missouri. Houve protestos em várias cidades do país.

"Meu Deus, você está falando sério?", disse a viúva de Garner, Esaw, ao jornal "Daily News" após o anúncio. "Estou muito desapontada. Você pode ver no vídeo que o policial estava errado!"

Desde o início do dia, a polícia de Nova York se preparava para uma nova onda de protestos por causa da decisão. No início da noite, centenas de pessoas se reuniram na Times Square e marcharam pela cidade.

Julio Cortez/Associated Press
Grupo protesta na Times Square após júri decidir não indiciar policial que matou homem negro em Nova York
Grupo protesta na Times Square após júri decidir não indiciar policial que matou homem negro em NY

Eles carregavam cartazes com a frase "Eu não consigo respirar", as últimas palavras de Garner. "A corte falhou conosco, a polícia falhou conosco. É hora de mostrar que isso não pode continuar", disse Monique Courton, 32, que participava do protesto.

"Essa história de policiais usarem câmeras em seus uniformes é totalmente ridícula. Nós temos tudo isso gravado e ainda assim, não houve indiciamento."

Em comunicado, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, pediu que as manifestações fossem pacíficas. Temendo novas manifestações pelo país, o presidente Barack Obama se apressou em comentar o caso.

"Essa é uma questão com a qual estamos lidando há tempo demais. Eu não estou interessado em falar, estou interessado em agir", disse. "Não vamos parar até que vejamos um fortalecimento na confiança e na responsabilização nas relações entre as comunidades e os agentes de segurança."

O secretário de Justiça, Eric Holder, disse que o Departamento conduzirá uma nova investigação do caso.

SUSPENSO

Antes mesmo do anúncio da decisão, o comissário da polícia de Nova York, William Bratton, afirmou que Pantaleo está suspenso e ainda enfrentará sindicância interna.

O policial divulgou uma declaração após saber que não seria indiciado. "Eu me tornei um policial para ajudar as pessoas e proteger aquelas que não podem fazer isso sozinhas", afirmou. "Me sinto muito mal pela morte do sr. Garner."


Endereço da página: