Folha de S. Paulo


Príncipe Charles compara Putin a Hitler, diz jornal

O príncipe Charles do Reino Unido fez um comentário delicado e polêmico durante uma visita ao Canadá, ao comparar as recentes ações do presidente russo Vladimir Putin com as de Adolf Hitler.

O jornal britânico "The Daily Mail" afirma nesta quarta-feira que várias testemunhas ouviram o príncipe fazer este comentário a Marienne Ferguson, de 78 anos, que fugiu dos nazistas aos 13 e perdeu sua família no Holocausto.

"Falei com ele sobre meus antecedentes familiares e sobre como cheguei ao Canadá", declarou Ferguson ao jornal.

David Lipnowski/Associated Press
Prince Charles conversa com o governador de Manitop, Philip S. Lee, debaixo de chuva no Canadá
Prince Charles conversa com o governador de Manitop, Philip S. Lee, debaixo de chuva no Canadá

"O príncipe depois disse: 'e agora Putin está fazendo quase o mesmo que Hitler'", acrescentou.

"Devo dizer que concordo com ele e estou certa de que muita gente também concorda (...) Fiquei muito surpresa com o fato de ele fazer este comentário, porque eles (a família real) não costumam dizer essas coisas, mas foi muito sincero e honesto", disse.

O herdeiro da Coroa conversou com Ferguson durante uma visita ao Museu Canadense da Imigração, em Halifax, Nova Escócia, em uma escala de sua viagem de quatro dias pelo Canadá junto a sua esposa Camila.

O príncipe Charles e sua mãe, a rainha Elizabeth 2ª, se encontrarão com Putin na comemoração do Dia D da Segunda Guerra Mundial, em 6 de junho no norte da França.

A Clarence House (residência oficial do príncipe) não quis comentar estas informações.

"Não comentamos conversas particulares", afirmaram na Clarence House.

"Mas gostaríamos de deixar claro que o Príncipe de Gales não tentaria fazer declarações políticas públicas durante uma conversa particular".

Ferguson falou com a BBC e ofereceu um relato similar do ocorrido: "Fez o comentário de que Putin está fazendo as mesmas coisas que Hitler fazia".

"Foi apenas um pequeno comentário, não pensei que ia causar esse alvoroço", disse.

MONARQUIA E POLÍTICA

Os membros da Casa Real não comentam assuntos políticos e a rainha Elizabeth 2ª fez desta convenção uma regra rígida.

Até o momento não há uma reação oficial de Moscou, mas o popular jornal "Moskovsky Komsomolets" afirmou que as palavras do herdeiro da Coroa "correm o risco de desencadear um escândalo internacional e complicar as já difíceis relações entre Reino Unido e Rússia".

O jornal estimou que o momento foi "mal escolhido", levando-se em conta a proximidade do aniversário do desembarque na Normandia.

As declarações do príncipe refletem a frustração ocidental com a Rússia por seu confronto com a Ucrânia.

A anexação russa da província ucraniana da Crimeia em março desencadeou a pior crise nas relações entre Ocidente e Moscou desde a Guerra Fria.

A anexação foi seguida pelo surgimento de grupos pró-russos contra Kiev que colocaram a Ucrânia à beira da guerra civil.


Endereço da página: