Folha de S. Paulo


Rolling Stones brigam por seguro após shows adiados na Oceania

Os Rolling Stones estão enfrentando uma batalha judicial por um seguro no valor de US$12,7 milhões (R$32,2 mi), após o adiamento da turnê na Ocenia por causa da morte da estilista L'Wren Scott, namorada de Mick Jagger.

De acordo com a apólice contratada pelo grupo, os membros deveriam ser pagos no caso de cancelamento de shows por causa da morte de familiares e pessoas próximas, incluindo Scott, que se suicidou em março, fazendo com que a banda adiasse shows na Austrália e Nova Zelândia.

No entanto, a seguradora afirma que a morte da estilista não estaria coberta porque ela era portadora de uma doença mental pré-existente.

Baz Ratner/Reuters
Keith Richards, Mick Jagger e Ronnie Wood, membros da banda de rock veterana The Rolling Stones
Keith Richards, Mick Jagger e Ronnie Wood, membros da banda de rock veterana The Rolling Stones

De acordo com um documento do caso, Jagger, 71, foi aconselhado por médicos a não se apresentar por pelo menos 30 dias depois da morte da namorada, por estar sofrendo de "estresse traumático agudo".

Os Stones começaram a turnê no final de outubro, mas tiveram que cancelar o show em Melbourne, na Austrália, por causa de uma infecção na garganta do cantor.

No dia 12 de novembro, a banda tem uma apresentação marcada em Sydney, também na Austrália.


Endereço da página: