Folha de S. Paulo


Johnny Rotten afirma se sentir 'responsável' pela morte de Sid Vicious

Ex-vocalista da banda punk Sex Pistols, o inglês Johnny Rotten, 58, (cujo nome de batismo é John Lydon) afirmou neste sábado (11), se sentir "um pouco responsável pela morte" de Sid Vicious, baixista do grupo.

Em 1979, Vicious, conhecido mais por suas performances no palco que pela capacidade de tocar baixo, morreu de overdose de heroína.

No ano anterior, ele havia sido acusado pela morte por esfaqueamento da namorada, Nancy Spurgen.

Associated Press
Johnny Rotten (à direta) e Sid Vicious, durante apresentação da banda Sex Pistols, em São Francisco, na Califórnia, em 1978
Johnny Rotten (à direta) e Sid Vicious, durante apresentação da banda Sex Pistols, em São Francisco, na Califórnia, em 1978

Rotten/Lydon falou na Feira Literária de Cheltenham, na Inglaterra, onde promovia sua autobiografia "Anger Is an Energy" (raiva é uma energia), que Vicious "não conseguia lidar" com a fama.

"A mãe dele era uma viciada em heroína," disse o músico. "Eu me sinto mal por tê-lo levado para a banda".

Os Sex Pistols foram uma banda emblemática de punk rock que teve uma existência fugaz. O grupo é apontado como um dos pioneiros do movimento punk no Reino Unido.

A banda era formada por Rotten no vocal, Steve Jones na guitarra, Paul Cook na bateria e Glen Matlock no baixo (substituído posteriormente por Sid Vicious).

Em 2006, os Pistols foram incluídos oficialmente no Hall da Fama do Rock britânico. O grupo, no entanto, rejeitou o convite para a cerimônia e insultou os organizadores.


Endereço da página: