Folha de S. Paulo


Uefa vai analisar casos de tumultos das torcidas da Croácia e da Turquia

Na próxima segunda-feira (20), a Uefa (União Europeia de Futebol), entidade que organiza a Eurocopa 2016, vai analisar os incidentes de violência das torcidas da Croácia e da Turquia em partidas do torneio na França.

Os procedimentos disciplinares foram abertos neste sábado (18). As duas federações podem sofrer sanções devido aos torcedores terem "atirado objetos ao campo e acendido sinalizadores", segundo nota da Uefa.

A Croácia enfrenta, ainda, acusações de "comportamento racista" durante a partida contra a República Tcheca. Já a Turquia será julgada por torcedores invadirem o campo no jogo contra a Espanha.

O jogo da Croácia em Saint-Étienne foi paralisado por cinco minutos após torcedores jogarem sinalizadores no campo e começarem a brigar entre si.

Oito sinalizadores e outros objetos foram parar no campo próximos à polícia que estava colocada em frente a seção de torcedores croatas.

Quando o jogo foi interrompido, a Croácia vencia por 2 a 1, mas a República Tcheca conseguiu empatar o placar após a retomada.

A federação croata recebeu três sanções durante a fase classificatória da Eurocopa e já vai participar de uma audiência de processo disciplinar na terça-feira (21) referente à partida de estreia contra a Turquia, em Paris. Na ocasião, torcedores também jogaram sinalizadores e invadiram o campo.

Em nota, a Croácia afirma que advertiu a Uefa e a polícia francesa de que sua torcida planejava interromper o jogo de sexta conforme ocorreu.

Miroslav Markovic, responsável pela segurança da federação croata afirma que a entidade havia recebido uma "dica" de que haveria incidentes aos 40min do segundo tempo.

No comunicado, a entidade pede desculpas pelos tumultos causados pelos torcedores, mas ataca autoridades do país lembrando que, há anos, não há êxito em combater um problema "que é responsabilidade de todos nós na Croácia".

"Os incidentes em Saint-Étienne são o resultado da atitude passiva do estado croata e hoje somos todos reféns de um grupo de hooligans".

VIOLÊNCIA

A Eurocopa 2016 tem sido marcada por violência, especialmente na cidade de Marselha, na última semana. Lá, torcedores russos e ingleses se enfrentaram antes, durante e depois do jogo das duas seleções.

No início da semana, a polícia de choque francesa teve de usar bombas de gás lacrimogêneo para dissipar os tumultos de torcedores da Inglaterra em Lille antes da partida contra o País de Gales. Cerca de 50 pessoas ficaram feridas e 16 delas foram hospitalizadas.

A França disponibilizou mais de 90 mil policiais, soldados e agentes de segurança privada em todo o território para garantir a segurança após avisos da agência de inteligência do país sobre potenciais ataques de terroristas islâmicos e enfrentamentos de torcidas.


Endereço da página:

Links no texto: