Folha de S. Paulo


Fuvest recebe pedidos de isenção da taxa de inscrição até esta quinta

Estudantes de baixa renda podem solicitar a isenção da taxa de inscrição da Fuvest, que realiza o processo seletivo para a USP (Universidade de São Paulo), até esta quinta-feira (11). As inscrições acontecem do dia 19 de agosto a 8 de setembro no site da Fuvest.

Para os candidatos serem contemplados com isenção total da taxa, eles precisam ter cursado todo o ensino médio em escola pública e ter renda máxima de R$ 1.320 (individual ou per capita. Para obter 50%, os candidatos devem ter renda individual de, no máximo, R$ 1.760.

Os desempregados também podem solicitar isenção do pagamento da inscrição. De acordo com o edital do vestibular, são considerados em situação de desemprego os interessados que, tendo sido já empregados, formal ou informalmente, estiverem sem trabalho no momento e no período de até 12 meses anteriores à solicitação.

Fuvest 2017

O candidato poderá fazer a consulta individual sobre o resultado da isenção a partir do dia 19 de agosto, no site da Fuvest, quando começa a inscrição para o vestibular. A isenção não garante automaticamente a inscrição no vestibular, que deve ser feita no período correspondente usando um formulário específico.

As inscrições vão até o dia 8 de setembro e devem ser efetuadas exclusivamente no site da Fuvest. Para efetuar a inscrição, o candidato deve ter o próprio número no CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) e pagar a taxa de inscrição, no valor de R$ 160, em qualquer agência bancária por meio do boleto emitido pelo programa no final do processo de inscrição.

O candidato com deficiência deverá fazer inscrição pela internet e enviar a documentação solicitada por correio, até o dia 9 de setembro. Segundo a instituição, uma equipe de especialistas analisará os comprovantes e informará ao candidato, até 21 de novembro, as condições que lhe serão oferecidas, em cumprimento à legislação vigente.

PROVAS

A primeira fase do exame será realizada dia 27 de novembro (prova de conhecimentos gerais) e a segunda acontecerá nos dias 8, 9 e 10 de janeiro de 2017 (português e redação no 1° dia, história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês no 2° dia e, por último, prova específica de acordo com a carreira escolhida).

A lista dos locais de provas para a primeira fase será divulgada no dia 21 de novembro e, a da segunda, no dia 19 de dezembro. Confira aqui o Manual Fuvest 2017.

A Fuvest reforça ainda que os estudantes devem ficar atentos as datas das provas de habilidades específicas. Para os candidatos ao curso de artes visuais, as provas serão no dia 9 de outubro. Já para música, as provas serão no período de 9 a 14 de outubro (para curso na ECA) e de 10 a 14 de outubro (para curso em Ribeirão Preto). Em janeiro, a Fuvest aplica as provas específicas para os cursos de artes cênicas (no período de 11 a 13) e de audiovisual, no dia 13.

Uma das novidade da lista de obras de leitura obrigatória, que será válida até o vestibular de 2019, é inclusão do livro "Mayombe", do angolano Pepetela. É a única obra cujo autor está vivo. Com relação à lista do ano passado, houve a exclusão de "Til", de José de Alencar, "Viagens na Minha Terra", de Almeida Garrett, "Memórias de um Sargento de Milícias", de Manuel Antônio de Almeida e "Sentimento do Mundo", de Carlos Drummond de Andrade.

VAGAS

A Fuvest oferece 8.854 vagas, sendo 8.734 para USP, 120 para a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa. A USP vai oferecer ainda 2.338 por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada, que usa a nota do Enem).

Das 2.338 vagas no Sisu, 1.741 (16% sobre o total de vagas) são reservadas a alunos de escola pública. Dessas, 586 são para alunos da rede, mas que sejam pretos, pardos e indígenas. O restante, 597, estará no Sisu para ampla concorrência (para alunos de qualquer escola). Cursos da área de humanas também concentram as vagas reservadas para a escola pública: 63% dessas cadeiras são em carreiras nessa área.

No último vestibular, a USP também destinou vagas ao Sisu, mas em número menor. A instituição tinha 13% das vagas no sistema e várias unidades que no próximo ano reservaram vagas, como a Faculdade de Economia e a de Arquitetura, haviam ficado de fora.

CHAMADAS

A primeira lista de aprovados no vestibular será divulgada às 10h no dia 2 de fevereiro no site da Fuvest. A matrícula será em duas etapas: não presencial, apenas no site da Fuvest, nos dias 6 e 7 de fevereiro de 2017, e presencial (obrigatória) nos disas 13 e 14 de fevereiro. As demais chamadas aconteceram nos dias 9, 17 e 23 de fevereiro (segunda, terceira e quarta lista, respectivamente) e nos dias 6 e 10 de março (quinta e sexta chamadas, respectivamente).

Depois desse período, a Fuvest divulga o número de vagas não preenchidas e lista de candidatos habilitados para participar da primeira etapa de Reescolha do curso, apenas pela internet, nos dias 15 e 16 de março de 2017. A sétima e oitava lista serão divulgadas nos dias 22 e 24 de março, respectivamente.

ESTRATÉGIA DE ESTUDO

A Secretaria do Estado de São Paulo informou que disponibiliza aos alunos e ex-alunos da rede estadual uma plataforma digital gratuita com cursos preparatórios pré-universitário. Segundo a instituição, a Evesp (Escola Virtual de São Paulo) apresenta mais de mil questões de edições anteriores da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem.

Para especialistas, obter uma vaga na universidade, principalmente na USP, é preciso estar atento aos detalhes. Para eles, o manual do candidato é uma boa fonte para ajuda a criar estratégias de estudo para Fuvest.

Já na inscrição, o material disseca uma série de regras. O vestibulando pode, por exemplo, optar por até quatro cursos, em ordem de preferência, desde que agrupados na mesma carreira. Na prática, isso veta que um candidato a uma vaga em medicina na capital (USP ou Santa Casa) inclua o mesmo curso em Ribeirão Preto como alternativa –carreiras 500 e 505, respectivamente.

"Não sabia desses detalhes", diz a estudante Adryanne Accessor, 20, que está no terceiro ano de cursinho e quer um lugar em medicina. "Em relação às opções de cursos, falta muita conversa. O pessoal sabe pouco sobre o assunto", completa.

Avener Prado/Folhapress
Adryanne Accessor, 20, em sala da unidade Tamandaré do Anglo
Adryanne Accessor, 20, em sala da unidade Tamandaré do Anglo

Para além dessa "trava", há uma lógica que precisa ser observada na hora de escolher as alternativas, segundo Rodrigo Fulgêncio, coordenador do Poliedro. "O aluno tem que colocar no topo o curso que ele mais quer. Em seguida, um em que seja mais fácil de entrar do que a primeira opção."

De acordo com Marcelo Dias Carvalho, coordenador-geral do cursinho Etapa, o manual do candidato "é igual ao de televisão, ninguém lê". O "filé" do material da Fuvest, diz Carvalho, é a parte que trata da metodologia de avaliação da redação, uma das etapas mais temidas pelos vestibulandos.

Ele recomenda que o estudante leia a seção e faça simulados com os princípios em mente. "Ele já sai ganhando, porque está fazendo exercícios de acordo com o que a banca examinadora vai analisar", afirma.


Endereço da página:

Links no texto: