Folha de S. Paulo


'Pink blocs' participam da Parada Gay no Rio de Janeiro

Com lenços coloridos cobrindo o rosto, um grupo identificado como "pink bloc" se somou à multidão que participou neste domingo (13) da 18ª Parada do Orgulho Gay do Rio de Janeiro, em Copacabana, zona sul da cidade.

"Nos inspiramos no black bloc, os apoiamos, mas não estamos aqui para cometer atos de violência, e sim de amor", disse Raphael Toledo, 19, enquanto jogava purpurina cor de rosa no público. "É um toque político ao movimento", acrescentou.

Com um beijo coletivo, a parada começou por volta das 16h deste domingo e teve uma participação de aproximadamente 300 mil pessoas, segundo a Polícia Militar.

A marcha foi aberta com um discurso de Julio Moreira, presidente do Grupo Arco-Íris, organizador do evento. "Este é um ato político, pois esta é a maior manifestação do Brasil. E vamos continuar lutando, pois é através do amor que ganhamos a liberdade", disse.

Bruna Fanti/ Folhapress
Grupo pink bloc participa da Parada Gay no Rio de Janeiro
Grupo pink bloc participa da Parada Gay no Rio de Janeiro

A Parada conta com o apoio do público heterossexual, incluindo casais com filhos. Cerca de 300 policiais e agentes da Guarda Municipal acompanham a passeata, que transcorre de forma pacífica.

Para o travesti Andressa Lorray, de 26 anos, o preconceito contra homossexuais diminuiu no Rio de Janeiro. "Eu me assumi como travesti aos 13 anos e sofri muito preconceito. Mas hoje, ao usar roupa de mulher, não sou mais tachada como algo bizarro. Isso se deve à nossa luta e a movimentos como esse de hoje", afirmou Andressa, que participa da Parada Gay carioca pelo sétimo ano consecutivo.

Alguns políticos, entre os quais Carlos Minc, secretário estadual do Ambiente, e parlamentares ligados a movimentos LGBT foram a Copacabana apoiar a Parada Gay.


Endereço da página: