Folha de S. Paulo


12 destinos gastronômicos para visitar neste ano

Viajar já é um prazer, quando isso é combinado com boa comida, os dias ficam ainda melhores.

Alguns lugares são tão saborosos que a gastronomia pode ser o principal motivo da viagem. Na lista abaixo, confira 12 destinos selecionados pela editora de guias turísticos Lonely Planet e publicados pelo jornal "El País", para comer e beber bem em 2016.

*

1. Tour gastronômico na França

Mário Moreira/Folhapress
Vista de vinhedo no vilarejo de Verzenay, na rota do champanhe da região francesa, que reúne 5.000 fabricantes de vinho espumante.
Vista de vinhedo no vilarejo de Verzenay, na rota do champanhe da região francesa, que reúne 5.000 fabricantes de vinho espumante.

A França é conhecida por muitos de seus produtos culinários e cada região do país tem sua especialidade. Em terras francesas, há rotas tradicionais de iguarias como os famosos queijos roquefort e camembert, os vinhos de Alsácia ou Bordeaux, as saborosas sobremesas de Marselha e os doces de Paris. O visitante pode também fazer uma visita pela região de Champagne, terra natal da bebida de mesmo nome, ou sentar-se em alguns dos melhores restaurantes do mundo em Lyon.

2. Uísque escocês

Bonhams/Efe
Whisky de malta de 55 anos da destilaria escocesa Old Glenfiddich.
Whisky de malta de 55 anos da destilaria escocesa Old Glenfiddich.

Embora os escoceses não costumem ser uma referência em produtos gastronômicas, sua bebida nacional, o uísque, coloca o país como um destino nesta lista. A bebida, que significa "água da vida", vem sendo produzida artesanalmente há 500 anos, e já são mais de cem destilarias ao redor da Escócia –cada qual com um tipo de uísque de malte específico, que varia em aroma, sabor e textura. Para quem quiser conhecer a produção mais de perto, muitas destilarias permitem visitação.

3. Cozinha nórdica premiada

Nikolai Linares/Efe
Casal caminha em direção à porta do Noma, restaurante eleito terceiro melhor do mundo pela revista
Casal caminha em direção à porta do Noma, restaurante eleito terceiro melhor do mundo pela revista "Restaurant", em Copenhague (Dinamarca)

Com ruas cheias de bares, feiras, museus e uma notável arquitetura, Copenhague une inovações gastronômicas à tradição dos 850 anos de história da cidade. A nova culinária dinamarquesa surpreende críticos e amantes da cozinha, e já possui 15 restaurantes com estrelas "Michelin". Dentre eles, a maior referência é o Noma (na foto), do chef René Redzepi, eleito em 2015 o terceiro melhor restaurante do mundo e que conta com uma lista de espera de vários meses.

4. "Pintxos" de San Sebastián

Javier Etxezarreta/Efe
Vista de uma barra com
Vista de uma barra com "pintxos" em San Sebastián

Na culinária dos Países Bascos, em San Sebastián, destacam-se os pequenos "pintxos". Chamados por muitos de "alta cozinha em miniatura", os quitutes em pequenas porções (muitas vezes sobre uma torrada) oferecem aos visitantes sabores intensos e variedade.

5. Cerveja tcheca

Petr David Josek/Associated Press
Cerveja produzida em Pilsen, na República Tcheca.
Cerveja produzida em Pilsen, na República Tcheca.

Desde a criação da famosa cerveja Pilsner Urquell, em 1842, os tchecos ficaram conhecidos pela qualidade da bebida produzida no país. Assim, eles se gabam por ter a melhor cerveja do mundo e por isso sua capital, Praga, tem amostras de todos os tamanhos e tipos. Recentemente, a produção artesanal de cervejas vem ganhando força, da clássica leák até a kvasnicové ou a kávové pivo. Além de provar uma boa cerveja em quase todos os bares de Praga, quem escolher a República Tcheca como destino também pode visitar a lendária fábrica da Pilsner.

6. Escolas de cozinha em Marrocos

Letícia Fonseca-Sourander/Folhapress
Vista panorâmica da cidade de Fez, com o minarete da mesquita El Kairaouine no centro; no teto das casas, avistam-se antenas parabólicas.
Vista panorâmica da cidade de Fez, com o minarete da mesquita El Kairaouine no centro; no teto das casas, avistam-se antenas parabólicas.

A comida de rua é estrela em Marrocos, com destaques para os tradicionais cuscuz e tagine (um cozido de legumes, geralmente com carne). Para compor o cuscuz há dezenas de opções: verduras, cordeiro, tomate, peixes, ervas... Suas escolas de cozinha também podem proporcionar boas aventuras culinárias –como a do Café Clock, na cidade de Fez.

7. Aperitivos de Istambul

Umit Bektas/Reuters
Cozinheiro turco faz um kebab de frango num pequeno restaurante na Turquia
Cozinheiro turco faz um kebab de frango em um pequeno restaurante na Turquia

No Oriente, a Turquia é um bom destino para provar a mescla de sabores típica da região. A cozinha local tornou-se famosa pelos aperitivos, que valem pela variada experiência gastronômica Eles costumam ser de verduras, mas podem ser feitos de peixe também. As receitas mais conhecidas são os kebabs e as caftas.

8. Peixes no Japão

Stephan Morrison/Efe
Vendedor de peixe organiza sua mercadoria no mercado de Tsukiji
Vendedor de peixe organiza sua mercadoria no mercado de Tsukiji

A milenária cozinha japonesa já se espalhou por vários cantos do planeta, mas a capital do país pode trazer algumas experiências que vão além do sushi. Ouse experimentar pratos como o shabu-shabu, okonomiyaki, tonkatsu, unagi e akitori. Os visitantes também podem se lançar à exploração gastronômica no mercado de peixes Tsukiji, que além de movimentar centenas de toneladas de peixe diariamente, reúne na área externa alguns restaurantes. Placas ilustradas também ajudam os turistas a se movimentarem pelo local.

9. Surpresas da culinária vietnamita

Divulgação
Restaurante Nha Hang Ngon, no Vietnã
Restaurante Nha Hang Ngon, no Vietnã

Embora a cozinha vietnamita ainda não seja um fenômeno global, a culinária local possui boas surpresas. A cidade de Ho Chi Minh, a antiga Saigon, engloba desde uma grande oferta de comida de rua até restaurantes sofisticados. Na cidade, dois opostos se unem no restaurante Nha Hang Ngon, onde são servidos, no jardim (foto), clássicos da comida de rua vietnamita.

10. Mistura de referências na Malásia

Zainal Abd Halim/Reuters
Agricultor trabalha em plantação de óleo de palma em Kuala Lumpur, na Malásia
Agricultor trabalha em plantação de óleo de palma em Kuala Lumpur, na Malásia

No sudeste asiático, os visitantes podem experimentar a variada e exótica culinária da Malásia (especialmente na costa oeste da península). A variedade engloba pratos da comida "nonya" (de influências chinesa e malásia), curry indiano e bufês chineses. O prato oficial do país é feito de arroz cozido com leite de coco, pepino, peixe e ovo, que os malásios comem no café da manhã com vários acompanhamentos, mas os restaurantes do país também oferecem uma vasta gama de peixes e sucos de fruta.

11. Reinvenção da culinária tradicional no Peru

Lucas Ogasawara/Folhapress
Tipos de batata durante o Mistura 2011, principal festival gastronômico do Peru
Tipos de batata durante o Mistura 2011, principal festival gastronômico do Peru

Ao longo de seus 400 anos, a tradicional cozinha do Peru vem misturando referências, com pratos de arroz espanhóis e ingredientes andinos –como a quinoa– preparados com métodos asiáticos e sabores da Amazônia. Contudo, nos últimos anos, uma geração de cozinheiros inovadores – especialmente o chef Gastón Acurio– vem tornando a culinária peruana conceituada em todo mundo, reinterpretando os sabores locais sob o ponto de vista da alta cozinha. Por isso, agora, quem visita o Peru anseia por experimentar a comida típica da região, e empresas de turismo oferecem rotas gastronômicas aos visitantes, que vão dos restaurantes modestos de Moyobamba as modernas boates do bairro de Miraflores.

12. Da comida de rua ao gourmet no México

Steve Simonsen/Divulgação
Restaurante Ocean Grill, em Porto Marisco, no México, é um exemplo de culinária gourmet no país conhecido pela comida de rua
Restaurante Ocean Grill, em Porto Marisco, no México, é um exemplo de culinária gourmet no país conhecido pela comida de rua

Assim como o Peru, o México oferece aos visitantes o sabor da culinária latina, e acrescenta sua marca registrada: o tempero picante. Embora o país seja palco de uma ampla variedade de comida de rua –berço das quesadillas, enchiladas e tamales–, há também espaço para propostas gourmet, como a do restaurante Pujol, do chef Enrique Olvera, ou o Ocean Grill (onde, além de comer, os visitantes podem experimentar a bela vista de Porto Marisco).


Endereço da página: