Folha de S. Paulo


Fotógrafo sírio promete não ir aos EUA durante governo Trump

O fotógrafo sírio Khaled Akil, conhecido por suas montagens de Pokémons na guerra de Aleppo, disse nesta semana que não irá aos Estados Unidos enquanto durar o governo de Donald Trump. A promessa, noticiada pela rede árabe Al Jazeera, é uma resposta às medidas migratórias anunciadas na sexta-feira (27), afetando os cidadãos de sete países de maioria muçulmana, como a Síria.

A ausência de Akil coincidirá com a exposição de seu trabalho mais recente em uma universidade no Estado da Califórnia. Ele vive na Turquia há cinco anos, durante os quais pediu o visto aos EUA em duas ocasiões  sendo rejeitado em ambas.

Eu entendo que eles queiram interrogar as pessoas e eles têm o direito a saber quem está vindo, mas dar uma ordem racista como essa para nos impedir a todos é agonizante, ele disse à Al Jazeera. As medidas aprovadas por Trump darão razão, segundo o artista, para que as pessoas odeiem os sírios. Essa política me preocupa porque cria a tensão que vi em meu próprio país e que levou a mais violência.

Vejam abaixo alguns dos trabalhos de Akil. A imagem no topo deste post, unindo uma fotografia de terroristas com a propaganda de Trump, é também dele. Há mais exemplos em seu blog e em sua conta oficial no Twitter.

Ódio alimenta ódio, de Khaled Akil. Crédito Reprodução
Máscaras negras ou máscaras brancas, de Khaled Akil. Crédito Reprodução
Pokémons vão a Aleppo, de Khaled Akil. Crédito Reprodução
Réquiem pela Síria, de Khaled Akil. Crédito Reprodução
Os não mencionados, de Khaled Akil. Crédito Reprodução

Endereço da página:

Links no texto: