Folha de S. Paulo


‘Moço, eu gosto de zumbi’: Gibiteca em Itaquera reúne HQs para geeks

Domingo, 14h30. Sol a pino na Cohab 2, na zona leste de São Paulo. Dia de churrasco em algumas casas; noutras, reunião familiar. O status, comum em várias periferias, só não é o mesmo na “Okupação Coragem”. Por lá, é dia de juntar os nerds da ZL para jogar Zombicide, ler quadrinhos e mangás e participar de workshops com elementos da cultura geek.

Elisa da Silva Assunção, 7, é um exemplo. Ela chegou até o lugar acompanhada pelo pai. Naquele dia, a maior parte dos presentes era crianças e adolescentes que ocuparam as mesas para ler livros, mas sobretudo jogar com as cartas e dados disponíveis. Ao longo do dia, diversas pessoas, de bebês a idosos, passaram por ali.

“O nosso trabalho sempre foi de formação de público, como biblioteca mesmo, afirma Fabio Santos, 35, um dos criadores do projeto.

A gente não costuma fazer atividades que sejam muito grandiosas, muito pretensiosas. Nosso trabalho é aquele de passo a passo, de fazer isso daqui um hábito, de que esses garotos voltem no domingo que vem”, ressalta.

Integrantes e frequentadores do Okupação Cultural Coragem, na Cohab 2, em Itaquera (Lucas Veloso/Folhapress)

A ideia da Gibiteca Balão nasceu em 2013. No ano seguinte, com o apoio do Programa VAI (Valorização de Iniciativas Culturais), Fabio deu início às primeiras atividades na Casa da Memória, no centro de Itaquera. No entanto, após dois anos de encontros, a disponibilidade no espaço foi cancelada por problemas com a administração local.

Neste ano, o projeto passou a ser realizado no espaço da Okupação Cultural Coragem, na Cohab 2, distrito que pertence à Prefeitura Regional de Itaquera. O ambiente foi criado a partir da união de ativistas, que já desenvolviam algumas ações culturais e artísticas na região.

Bianca Alves, 19, é uma das componentes do grupo. Desde pequena, ela se interessava pela cultura nerd, pois assistia em casa desenhos de animes na TV. Com o passar do tempo, percebeu a dificuldade em acessar produtos da cultura geek.

Acervo tem 5.000 HQs, que vão de quadrinhos nacionais a norte-americanos, entre outros (Lucas Veloso/Folhapress)

“Todas as coisas que eu queria ver, ler, tinha que ir pro centro, nas lojas grandes da Liberdade”, afirma. Há alguns anos, ela conheceu e começou frequentar a Gibiteca e foi chamada para compor a equipe do projeto. Atualmente, Bianca é responsável por cuidar dos mangás.

O acervo disponível na Gibiteca, com cerca de 5.000 obras, é composto em grande parte por quadrinhos brasileiros e norte-americanos. Há também HQs adultas que falam de histórias mais dramáticas, da escravidão no Brasil às pessoas que vivem no Oriente Médio, além de terror e aventura.

Gabriel Ian Soares, 10, era uma das crianças mais animadas com os jogos. “É a minha primeira vez aqui. Gosto de cultura nerd. Eu nunca tinha jogado, mas aprendi rápido. Ganhei agora o Left 4 Dead, o jogo que mais gostei. Se minha mãe me trouxer na outra semana, eu venho. Se ela não me trouxer, eu venho só também”, comemora.

A Gibiteca Balão abre aos domingos, das 13h às 19h | gibitecabalao@gmail.com

Lucas Veloso é correspondente de Guaianases
lucasveloso.mural@gmail.com


Endereço da página:

Links no texto: