Datafolha


Maioria em SP é contra mensalidade em universidades públicas

Opinião Pública -

Pesquisa Datafolha mostra que a maior parcela dos paulistas adultos é favorável à manutenção da gratuidade das universidades estaduais, como USP, Unicamp e Unesp. Quando questionados se as universidades estaduais deveriam ser sempre gratuitas ou se deveriam cobrar mensalidades de quem pode pagar, 57% declararam que elas deveriam se manter gratuitas e 43%, que elas deveriam cobrar mensalidade de quem pode pagar.

O apoio à manutenção da gratuidade é mais alto entre os mais jovens (70%), enquanto o apoio à cobrança de mensalidades é mais alto entre os menos instruídos (52%) e entre os mais velhos (58%). Observa-se que o apoio à gratuidade cresce conforme aumenta o grau de escolaridade do entrevistado: 62% entre os mais instruídos ante 48% entre os menos instruídos.

Nesse levantamento, nos dias 28, 29 e 30 de novembro de 2017, foram realizadas 2.006 entrevistas presenciais em 68 municípios paulistas. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos considerando um nível de confiança de 95%.

A imagem geral das universidades estaduais é positiva. Pelo o que sabe ou ouviu falar, 69% dos entrevistados avaliaram as universidades estaduais como ótimas ou boas, 20% como regulares e 6% como ruins ou péssimas. Uma parcela de 5% não opinou.

A taxa de aprovação das universidades estaduais é mais alta entre os mais jovens (77%), entre os que têm ensino superior completo ou incompleto (77%) e entre os mais ricos (78%). Uma parcela de 20% avaliou as universidades estaduais como regulares, 6% como ruins ou péssimas e 5% não opinaram.

Quando questionados sobre aspectos específicos da situação das universidades estaduais, como ensino, disponibilidade de vagas e situação financeira, os entrevistados se mostram mais críticos, principalmente em relação à situação financeira das universidades. Para 55%, o ensino nas universidades estaduais é ótimo ou bom - entre os mais instruídos o índice sobe para 70% e entre os mais jovens, para 66% -, para 29%, o ensino é regular e para 11% é ruim ou péssimo. Uma parcela de 4% não opinou.

Com relação à disponibilidade de vagas nas universidades estaduais: 21% consideram ótima ou boa, 39% como regular e 33% como ruim ou péssima. Uma fração de 7% não opinou. Entre os moradores da capital paulista, a taxa de insatisfeitos com a disponibilidade de vagas é mais alta (39%) do que entre os moradores de cidades do interior paulista (29%).

Por fim, quanto à avaliação da situação financeira das universidades estaduais, 17% avaliaram a situação como ótima ou boa (entre os mais jovens o índice alcança 25%), 36% como regular e 38% como ruim ou péssima. Uma parcela de 9% não opinou. A avaliação negativa da situação financeira das universidades estaduais é mais alta entre os mais instruídos (51%) e entre os mais ricos (64%). Entre os que reprovam o desempenho do governador Geraldo Alckmin, o índice de insatisfação chega a 53%.

Baixe esta pesquisa


Endereço da página:

Links no texto: