Datafolha


Doria e Skaf estão empatados na disputa por governo paulista

Eleições -

Na primeira pesquisa Datafolha após o início do horário eleitoral gratuito na TV e no rádio, João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB) aparecem pela primeira vez dividindo a liderança da corrida eleitoral para o Palácio dos Bandeirantes, tecnicamente empatados dentro da margem de erro da pesquisa, com o tucano numericamente à frente. Em comparação à pesquisa anterior, de agosto, Doria, com o maior tempo de propaganda eleitoral, manteve-se com 25% das intenções de voto, enquanto Skaf oscilou de 20% para 23% - o emedebista tem o quarto maior tempo de propaganda eleitoral. No período, Marcio França (PSB), com o segundo maior tempo de propaganda eleitoral, cresceu de 4% para 8%, enquanto os demais candidatos se mantiveram estáveis.

Luiz Marinho (PT) tem 5% das intenções de voto (tinha 4%), Major Costa e Silva (DC), 2% (mesmo índice anterior) e Professor Lisete (PSOL), 2% (mesmo índice anterior). Com 1% de menções, cada um, aparecem os candidatos: Toninho Ferreira (PSTU), Marcelo Candido (PDT), Prof. Claudio Fernando (PMN), Rodrigo Tavares (PRTB) e Rogerio Chequer (NOVO). Edson Dorta (PCO) foi citado, mas não alcançou 1%. O índice de eleitores paulistas sem candidato recuou de 37% para 30%, desses, 22% pretendem votar em branco ou nulo (era 26%) e 8% estão indecisos (era 11%).

Nesse levantamento, nos dias 04, 05 e 06 de setembro de 2018, foram realizadas 2.030 entrevistas presenciais com eleitores, em 60 municípios do estado de São Paulo. A margem de erro máxima é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, para o total da amostra.

Na pergunta espontânea de intenção de voto, quando não é apresentado cartão com os nomes dos candidatos, Doria e Skaf seguem como os candidatos mais lembrados e mais uma vez, tecnicamente empatados, com o tucano numericamente à frente. Doria subiu de 6% para 10%, enquanto Skaf oscilou de 4% para 7%. França passou de 1% para 4% e Marinho de 1% para 2%. Brancos ou nulos somaram 17% (mesmo índice de agosto) e caiu de 63% para 52% a taxa de eleitores que não citaram algum nome.

Dos 12 candidatos ao Palácio dos Bandeirantes, Doria segue como o candidato mais rejeitado, com índice de 33% (era 32%). A rejeição ao tucano é mais alta entre os moradores da capital paulista (47%) do que entre os moradores do interior (25%).

Suplicy lidera disputa pelo Senado

Após o início do horário eleitoral gratuito na TV e no rádio, o cenário eleitoral apresentou poucas mudanças, com Eduardo Suplicy (PT) na liderança para uma das duas vagas ao Senado, seguido por Mário Covas (PODE). Suplicy tem 30% (tinha 32% em agosto) e Covas tem 18% (mesmo índice anterior). Seguidos por Major Olímpio (PSL), com 11% (tinha 13%), Mara Gabrilli (PSDB), com 8% (tinha 6%), Maurren Maggi (PSB), com 6% (tinha 3%) e Tripoli (PSDB), com 6% (tinha 5%).

Com índices de intenção de voto mais baixos ficaram: Cidinha (MDB), com 4%, com 3%, cada um, Jilmar Tatto (PT), Professora Silvia Ferraro (PSOL), Antonio Neto (PDT) e Diogo da Luz (NOVO), e, com 2%, cada um, Dra. Eliana Ferreira (PSTU), Marcelo Barbieri (MDB), Jair Andreoni (PRTB), Mancha (PSTU) e Pedro Henrique de Cristo (REDE). Com 1% de menções, cada um, aparecem Educador Daniel Cara (PSOL), Kaled (DC) e Nivaldo Orlandi (PCO). Moira Lázaro Mandato Coletivo (REDE) foi citada, mas não alcançou 1%.

Para a primeira vaga ao Senado, uma parcela de 24% dos eleitores paulistas declarou que pretende votar em branco ou nulo (era 23%) e 13% estão indecisos (mesmo índice anterior). Já, para a segunda vaga, 34% pretendem votar em branco ou nulo (era 32%) e 22% estão indecisos (mesmo índice anterior).

Baixe esta pesquisa


Endereço da página:

Links no texto: