Datafolha


Aécio está tecnicamente empatado com Marina; Dilma Rousseff lidera

Eleições -

A três dias do 1º turno da eleição, a presidente Dilma Rousseff (PT) tem a preferência de 40% do eleitorado brasileiro, liderança que neste momento lhe assegura uma das vagas na segunda etapa da corrida presidencial. A disputa pela segunda vaga está em aberto, e tem como concorrentes Marina Silva (PSB), com 24% das intenções de voto, e Aécio Neves (PSDB), que aparece com 21%. Como a margem de erro é dois pontos para mais ou para menos, Marina e Aécio estão empatados.

A trajetória de ambos na reta final da campanha não garante folga à Marina: após empatar com Dilma entre o final de agosto e o início de setembro, sua candidatura entrou em trajetória de queda, e os 34% de intenções de voto que tinha em levantamento realizado entre os dias 01 e 02 do mês passado passaram para 30% entre 17 e 18 do mesmo mês; para 27% em pesquisa realizada na semana seguinte, entre 25 e 26 de setembro; e, em levantamento realizado no início desta semana, entre 29 e 30 de setembro, foi a 25%, e agora oscilou ´para 24%..

No mesmo período, Aécio tem subido gradativamente, após atingir seu pior índice em pesquisa realizada na primeira semana de setembro (14%). Na semana seguinte, sua candidatura oscilou para 15%; entre 17 e 18 de setembro, passou para 17%; uma semana depois, entre 25 e 26 de setembro, apresentou nova oscilação positiva e foi a 18%; e no levantamento do início desta semana, realizado entre 29 e 30 de setembro, alcançou 20%.

Além dos três candidatos mais bem posicionados, aparecem Pastor Everaldo (PSC), Luciana Genro (PSol) e Eduardo Jorge (PV), com 1% cada. Os candidatos Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iasi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO), Eymael (PSDC) e Zé Maria (PSTU não atingiram 1%. Há ainda 5% dos eleitores votaria em branco ou anulariam o voto, e 5% ainda estão indecisos.

Levando em conta somente os votos válidos, Dilma Rousseff tem 45%, ante 27% de Marina e 24% de Aécio Neves. Na semana passada, esses índices eram de 45%, 28% e 21%, respectivamente. Os candidatos Pastor Everaldo, Luciana Genro e Eduardo Jorge ficam com 1% cada, e os demais ficam abaixo de 1%. Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Nesse levantamento realizado entre os dias 01 e 02 de outubro de 2014, o Datafolha entrevistou 12.022 eleitores em 433 cidades em todas as regiões do Brasil. A margem de erro máxima é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, para o total da amostra.

71% dos eleitores de Dilma sabem seu número, contra 60% de Aécio e 50% de Marina

Seis em cada dez eleitores (60%) sabem o número de seu candidato à Presidência neste momento da campanha eleitoral, enquanto 34% declaram desconhecer essa informação. Há ainda 3% que mencionam números incorretas, e outros 3% que pretendem anular mas não sabem como realizar esse procedimento na urna eletrônica. Entre os eleitores de Dilma, 71% conhecem seu número, ante 60% na fatia de eleitores de Aécio, e 50% entre os que pretendem votar em Marina.

Na pesquisa espontânea, em que há apresentação dos nomes dos candidatos, Dilma tem 35%, mesmo índice do início da semana. No mesmo período, Marina se manteve com 20%, em situação de empate com Aécio, que passou 16% para 17%. As intenções de voto em branco ou nulo somam 5%, e há 20% que não souberam indicar um nome espontaneamente (na pesquisa anterior eram 22%)..

A taxa de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff oscilou de 31% para 32% na comparação com pesquisa realizada no início desta semana. Nesse intervalo, a rejeição à Marina Silva passou de 23% para 25%, e a Aécio, de 20% para 21%. Além deles, Levy Fidelix enfrenta a rejeição de 22% dos eleitores, assim como Pastor Everaldo, e em seguida aparecem Zé Maria (18%), Eymael (16%), Luciana Genro (16%), Rui Costa Pimenta (15%), Eduardo Jorge (14%), e Mauro Iasi (14%). A fatia dos que não rejeitam nenhum deles fica em 7%, enquanto 2% rejeitam todos e 7% não opinaram.

A simulação de segundo turno entre Dilma Rousseff e Marina Silva indica vantagem da petista, que tem 48%, ante 41% da adversária. No início da semana elas tinham 49% e 41%, respectivamente. Há 8% que votariam em branco ou nulo, e 3% estão indecisos. Nos votos válidos, Dilma teria 54%, ante 46% de Marina.

Se a disputa de segundo turno fosse entre Dilma e Aécio, os índices do cenário anterior se repetiriam: a petista teria 48% dos votos, ante 41% do adversário. Uma fatia de 7% votaria em branco ou anularia o voto, e 3% não responderam. No levantamento anterior, Dilma tinha 50%, e Aécio, 41%. Nos votos válidos, Dilma teria 54%, ante 46% de Aécio.

Governo Dilma é aprovado por 39%

O governo da presidente Dilma Rousseff (PT) é aprovado por 39% dos eleitores brasileiros, reprovado por 23%, e considerado regular por 36%. Há ainda 2% que não opinaram sobre o assunto. Na comparação com levantamento realizado no início desta semana, os índices de avaliação da petista ficaram estáveis.

De 0 a 10, a nota média atribuída atualmente ao governo Dilma Rousseff é 6,0, ante 6,1 no último levantamento.

Os resultados da pesquisa também foram analisados pelo diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, e pelo diretor de pesquisas do instituto, Alessandro Janoni, em artigo publicado hoje na Folha, que você pode ler aqui.

BAIXE OS DADOS DESTA PESQUISA


Endereço da página:

Links no texto: